Uma tarde em Londres: pra otimizar o dia, a noite não tem hora para acabar!

 

Nós chegamos no início da tarde em Londres, por volta das 14h.  Mas o desembarque por lá pode ser um pouco demorado principalmente por conta da obtenção do visto, expedido na hora.  Já passava das 15h quando finalmente nos livramos do aeroporto. Nos apressamos para deixar o terminal e pegamos o Trem Heathrow Express que em torno de 20 minutos nos deixou na estação de Paddington ,bem próxima do Hyde Park.

O trem Heathrow Express parte a cada 15 minutos do aeroporto ( terminais 2, 3, 4 e 5) e também leva em torno de 15 minutos  até a estação de Paddington. Os trens são confortáveis e super bem estruturados para acomodar as bagagens próximas a você. A estação de Paddington é muito bem servida de táxis e você ainda tem a opção de embarcar no metrô. Definitivamente esta é uma das melhores maneiras de chegar e sair de Londres!

Do outro lado do famoso e movimentado Hyde Park, estava Kensington, bairro onde estrategicamente nos hospedamos. Eu digo estrategicamente pois o nosso hotel, o Regency Hotel (que super recomendamos!), ficava a curtas caminhadas de uma estação do metrô – fator crítico para escolha da hospedagem quando se depende do transporte público – e ficava também próximo de atrações populares como o Kensington Palace, Victoria & Albert Museum e o Museu de História Natural! E foi neste último que começamos o nosso roteiro.

#1  Museu de História Natural

Depois de percorrer o Hyde Park em um táxi ( só pra dizer que não vimos o parque), fizemos o check in e partimos a pé para o Museu de História Natural que ficava bem pertinho do hotel. Pra quem gosta de vida selvagem, biologia, zoologia e arqueologia este passeio é obrigatório. E o melhor é que é de graça!!!

Este é o tipo de passeio que nos ensina muita coisa, sem contar que existem exemplares magníficos de fósseis de dinossauros capazes de hipnotizar qualquer um.  Sem dúvida um passeio que agrada a todas as idades e até mesmo os avessos à museus! O tempo lá dentro passa muito rápido e nós só tivemos cerca de duas horas para explorá-lo antes que fechasse! Eu acho que teria ficado mais uma hora lá, apesar de termos visto tudo!

Museu de História Natural

Otimizando o transporte

travel-card-413743_1280Já era quase 18h quando deixamos o Museu e nos aventuramos pela primeira vez no famoso underground de Londres! O metrô deles é o paraíso do sistema público de transporte! No início achamos que íamos nos enrolar com a quantidade de linhas e túneis…que nada…moleza até para o marido que arranha um inglês tupiniquim. Ali na hora, adquirimos o Oyster card, o cartão eletrônico recarregável para ser usado no sistema de transporte público.

Você pode carregar o seu Oyster até com seu cartão de crédito. Além de ser mais econômico ( a passagem sai mais barata ) e tornar mais ágil o embarque, com este cartão nós podemos circular tanto de metrô como de ônibus, quantas vezes quisermos durante o dia. Nós carregamos o Oyster considerando dois dias de deslocamentos na modalidade pay as you go, ou seja, pré-pago normal. Nesta opção há um pequeno valor correspondente à emissão do plástico ( reembolsável caso você o devolva) além do valor correspondente à carga. Acontece que o grande barato disso é que quando o Oyster atinge o teto diário – um valor máximo de débito estabelecido por dia – ele não debita mais nada, mas você continua se deslocando. Vale lembrar que o Oyster vai debitando conforme  as tarifas das zonas do metrô.

Você também pode adquirir um Visitor Oyster Card antes de chegar a Londres (clica aqui para se informar melhor!) ou carregar o seu Oyster com Travelcard cuja carga é comprada por dias de uso. Daí você pode usar o transporte público quantas vezes precisar durante o tempo adquirido. Vou te dar uma colher de chá e economizar o seu tempo de pesquisa: saiba tudo sobre o Oyster e como comprá-lo acessando estes dois blogs: Como utilizar o Oyster Card em Londres e Tudo o que você queria saber sobre o Oyster Card

#2 Piccadily Circus #3 London Eye

Metrô de LondresVoltando ao metrô e já com nosso Oyster no bolso para circular por dois dias, optamos por descer na estação próxima ao Piccadily Circus. Queríamos estar lá a noite para curtir toda aquela iluminação dos grandes letreiros que trazem vida e muito movimento mesmo à noite. Dali caminhamos para a famosa Oxford Street, a avenida repleta com imensas lojas de departamento. Até aqui, nosso roteiro estava bem cosmopolita e muquirana, na base do 0800.

Antes que fosse too late, “voamos” novamente pelo underground até a London Eye. A imensa roda gigante às margens do Rio Tâmisa se destaca na paisagem noturna com sua bela iluminação.

Aqui do Brasil nós compramos um combo ticket que nos dava acesso a London Eye, ao SEA LIFE London Aquarium, ao London Dungeon e ao Madame Tussauds. Na época pagamos em torno de 50 libras por pessoa por esse combo. Mas no site você pode escolher diferentes combinações, confere aqui os preços atualizados. De todas essas atrações, a única que não repetiríamos é o London Aquarium já que não achamos grande coisa e cada vez mais estamos convencidos de aquários não são bons locais para visitar!

Ao adquirir este combo nós precisávamos retirar os tickets na London Eye antes de ir nas demais atrações. Convém verificar se isso ainda procede, viu?

Espere da London Eye o que você espera de uma roda de gigante e você não irá sair decepcionado. Com o tempo limpo a vista noturna da cidade fica linda, mas imagino que um pôr do sol seja o momento perfeito. Para ficar mais perfeito ainda, as cápsulas poderiam ter assentos.

O passeio na roda gigante é lento, com duração de aproximadamente meia hora.  Como chegamos por volta das 20h, cerca de uma hora antes de fechar, o acesso foi bem tranquilo e sem filas, o que acredito não ser muito comum.  Talvez pela mesma razão nossa cápsula não estivesse completamente cheia, deixando o passeio bem confortável e a vista livre onde quer que estivéssemos posicionados.

O ticket também dá acesso ao cinema 4D, mas nós abrimos mão, pois tínhamos que seguir viagem para o IceBar London, onde já tínhamos uma reserva para a nossa primeira noite na cidade. Afinal era sexta-feira da nossa Lua de Mel.

Roda Gigante London Eye
Créditos: pixabay

#4 Icebar London

Imagine-se um iglu tomando um drink ao som de uma música eletrônica em uma noite comum do ártico. Imaginou? Então, você não precisa ir até o Polo Norte para ter uma experiência semelhante, até porque nem sei se existe bar de gelo lá por aquelas bandas. Em Londres, em meio a nossa civilização você pode ir no bar de gelo e curtir uma balada bastante inusitada.

O Icebar London é um bar de gelo permanente onde a temperatura gira em torno de -5ºC. Mas vai com calma, porque ele não é todo de gelo não. O bar é em sua maior parte normal com ambientes quentinhos e aconchegantes. Possui um grande lounge bem convidativo, um restaurante e um terceiro ambiente completamente revestido de gelo. E aqui todo mundo quer é sentir frio, muito frio mesmo!

Pois então, para ir ao bar de gelo é extremamente recomendável que você reserve pelo site, principalmente se estiver planejando a visita para um final de semana e foi isso que fizemos. No mesmo site você já deve escolher o horário da sua sessão. A grade de horários é bem diversificada e o último agendamento é para 1:15h da madrugada. Nós particularmente não gostamos muito de reservar horários, pois isso acaba engessando o roteiro, mas nesse caso como tratava-se de um roteiro noturno reservamos uma sessão às 23h.

Logo que chegamos, nos acomodamos no lounge e já iniciamos os trabalhos tomando alguns drinks com uns petiscos. No interior do ambiente de gelo, também são servidos drinks e nós já tínhamos um incluso no ticket.

Antes de entrar recebemos nossos belos trajes para uma balada perfeita: uma capa térmica azul unissex que cobre o corpo da cabeça aos pés, ou seja, quase uma burca. Também recebemos luvas bem grossas sem as quais não conseguiríamos pegar nossos copos feitos de gelo.

Quando abriram a porta da geladeira, entramos felizes da vida ao som de uma música eletrônica animada e nos deparamos com paredes de gelo, mesas e cadeiras esculpidas com gelo, balcões de gelo, gelo, gelo, gelo…..Eu podia escutar minha mãe falando “que ideia de jerico de vocês!”

Para suportar aquele frio todo durante os 40 minutos da sessão, só tomando uma vodka bem quente mesmo, porque dançar não rola! O ambiente é pequeno e fica bem cheio! Então, o negócio é entrar nesse clima de pinguim e curtir a breve noitada. Leve o breve a sério, para não sair de lá pobre…

O primeiro drink é por conta da casa e você pode escolher dentre várias opções de cocktails a base de vodka, rum, tequila e outros. Mas também existe opções sem álcool para os que não bebem e champanhe para os mais finos. Para continuar bebendo o refil dos cocktails com álcool custa em torno de 6 libras. E caso você deixe seu copo de gelo escorregar e cair, vai ter que pagar mais 4 libras por um novo….então, melhor não beber muito né?

Ice Bar de Londres

O que fazer em Londres a Noite

 

Este post faz parte da série Inglaterra em quatro dias e meio.  Continue lendo:

Parte 2: Nosso city tour em Londres: uma viagem ao passado em um dia


Informações Úteis

 

Museu de História Natural

Horários: diariamente das 10h às 17:50h

Ingresso: Gratuito

 London Eye

Horários: diariamente das 10h às 21h

Ingresso:  à partir de 19,35 libras. Consulte combos para obter melhores valores e reserve seu ticket pelo site para garantir descontos.

Icebar London

Horários: diariamente com horários variados. Em geral de 11:45 até 01:15.

Ingresso: à partir de 13,5 libras. Sextas e Sábados 16,5 libras. Importante reservar pelo site.

Veja no mapa as atrações que visitamos:

Você também poderá adicionar no seu roteiro (Marcados em preto no mapa):

Palácio de Kensington

Horários: Diariamente das 10h às 17h.

Ingresso: 15,40 libras

Victoria and Albert Museum – Museu de Artes e Design

Horários: Diariamente das 10h às 17:45h. Sextas até 22h.

Ingresso: Gratuito

 

Todos os valores referentes à 2015. Consulte os valores atualizados nos respectivos sites.

11 comentários em “Uma tarde em Londres: pra otimizar o dia, a noite não tem hora para acabar!

  1. Adoro “viajantes” com pique assim: chega no aeroporto e já parte para um passeio. Sou dessas também, não gosto de descansar depois do voo a não ser que tenha chegado pela noite. Adorei os lugares mas me encantei com o bar de gelo. (tomaria só um drink kkkk)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s