Road Trip | Roteiro de 6 dias nas Montanhas Rochosas Canadenses

Ano passado depois de dois anos de planejamento e poupança, realizamos um sonho de conhecer o Oeste Canadense.

Nosso roteiro no Canadá girou em torno das Montanhas Rochosas, em Alberta, embora tenhamos visitado parte da Columbia Britânica e a cidade de Toronto.

Como esse foi o ápice da viagem, resolver destacar esta parte do nosso roteiro para vocês.

 

Roteiro de 6 dias nas Montanhas Rochosas Canadenses

Moraine Lake

 

As duas questões mais importantes durante o planejamento dessa trip foram decidir quantos dias e em qual época viajar.

Depois de muita pesquisa sobre o clima na região, sobre as condições das estradas em cada época e sobre as atividades disponíveis, optamos pelo outono – minha estação preferida. A estação das árvores coloridas.

Mas o outono nas rochosas é bastante imprevisível, a temperatura cai bastante e pode até nevar. Para tirar o melhor da estação, decidimos que teríamos que ir nos primeiros dias do outono para reduzir os desafios climáticos, e também os custos. Além disso, a partir da segunda quinzena de outubro algumas atrações já começam a fechar.

Nossa escolha não poderia ter sido melhor! Não havia excesso de pessoas  e quase tudo estava aberto. O clima, apesar de alguns poucos momentos de chuva fraca, geralmente no início do dia, esteve ao nosso favor. É claro que tivemos que adaptar a programação conforme a previsão do tempo, mas no final deu tudo certo.

No outono, o sol fica um pouco preguiçoso e o dia só começava a ficar claro lá pelas 8h30. Até as 10h o frio ainda era intenso, com temperaturas levemente abaixo de zero. Por outro lado, dava para aproveitar o dia até quase às 20h!

Elaboramos um roteiro básico nas rochosas, e isso necessariamente inclui os parques nacionais Banff e Jasper.

O Parque Nacional de Banff parece ser menor que o de Jasper. Mas a cidade Banff Town é maior e melhor estruturada. Jasper é micro, mas é por isso mesmo charmosa. A maior parte das atrações dessa região está entre Banff e Jasper, e a cereja do bolo fica em Lake Louise, há 40 minutos de Banff. Portanto duas noites em Jasper nos pareceu razoável, e foi. Em Banff, dedicamos 4 noites. Então, vamos ao que interessa!

 

Dia 1 | Icefields Parkway 

Icefields Parkway

 Chegamos por Calgary e dirigimos com destino à Jasper ( de propósito passamos batidos por Banff ). No caminho, a Icefields Parkway – rodovia cênica da região -, já era o nosso destino.

Nosso dia começou por volta do meio dia. Pegamos a estrada prevendo paradas ao longo do caminho.

A primeira parada foi no Bow Lake, nos primeiros km da Icefields. Um pouco mais a frente, encaramos a curta trilha que leva até o Bow Summit para o nosso primeiro e memorável lago azul turquesa, o Peyto Lake. Ali ficamos por quase uma hora até retornar para a estrada. Passamos por uns lagos bem à beira da rodovia e paramos novamente no Waterfowl Lakes.

Peyto Lake

Nossa quarta parada foi no The Crossing Resort em Saskatchewan River Crossing, um ponto de encontro dos rios locais. O Crossing Resort é um complexo com hospedagem, loja de conveniência e posto. O único entre Banff e Jasper.

Dali para frente fizemos poucas paradas pela estrada até chegarmos em Jasper, já à noite. Pernoitamos no Mount Robson Inn, na entrada da cidade.

De madrugada acordamos para caçar aurora boreal. Por volta da meia noite nos dirigimos para o Pyramid Lake para ver as luzes do norte!

Auroral boreal, checked!

 

Dia 2 | Parque Nacional de Jasper

Spirit Island em Maligne Lake

 Jasper amanheceu ensolarada em nosso primeiro dia. Levantamos cedo e dirigimos para a Maligne Road, outra estrada cênica da região. Ainda pela manhã fizemos o passeio de barco no Maligne Lake. Na volta paramos no Medicine Lake que fica  no meio do caminho até a entrada do Maligne Canyon.

Almoçamos bem tarde no centro de Jasper e fomos descansar na beira do rio Athabasca. De lá esticamos até a Athabasca Falls, na Icefields Parkway, e percorremos as pequenas trilhas da cachoeira.

Athabasca Falls

No final da tarde, retornamos ao Pyramid Lake, passando pelo Patricia Lake, e dessa vez, com a luz do dia, pudemos conhecê-lo direito. E tivemos uma ótima surpresa:  a Pyramid Island. 

Pyramid Island

No final do dia, resolvemos caminhar pela cidade e retornamos cedo para descansar e nos preparar para caçar aurora boreal novamente, só que dessa vez, a caçada foi em vão.

 

Dia 3 | Parque Nacional de Jasper e Columbia Icefields

Acordamos com uma chuva torrencial e com nuvens que encobriam toda a paisagem. O clima nas montanhas é mesmo imprevisível.

A programação incluiria uma volta no Jasper Skytram, um bondinho que leva ao topo da montanha para uma panorâmica da região. Embora não tenhamos feito o passeio, não tenho dúvidas quanto ao visual incrível que ele deve proporcionar. Nós até demos uma chance ao tempo, passeando pela cidadezinha sob a chuva na esperança do tempo abrir. Mas não foi dessa vez. E se o tempo estiver muito nublado, não vale a pena subir gondolas.

Pegamos a  Icefields Parkway, agora com destino a Banff, e no caminho paramos para conhecer a Sunwapta Falls. Arriscamos fazer uma trilha pela floresta, mas como estávamos sós, sem repelente contra urso e sem sino, bateu um cagaço  um receio e depois de 15 minutos de caminhada, convenci o marido e o cunhado a retornarmos.

Trilha em Sunwapta Falls

Era hora de seguir para a  geleira Columbia. No centro de visitantes,  embarcamos no ônibus Ice Explorer para ir até a geleira, por onde permanecemos por 20 minutos. No retorno, embarcarmos em outro ônibus, daqueles comuns mesmo, para ir até o Skywalk – uma plataforma de vidro erguida sob um desfiladeiro. Como os passeios na Columbia Icefields tem horário certo para sair e não podíamos agendar, acabamos deixando o Centro de Visitantes por volta das 18h , não restando muito tempo para outras paradas no caminho.

Columbia Icefield

Chegamos à noite em Banff, onde pernoitamos por quatro noites no High County Inn.

 

Dia 4 | Parque Nacional de Banff

Nossa primeira manhã em Banff foi gelada (-5ºC) e chuvosa. Aproveitamos para caminhar pela Banff Avenue, principal avenida da pequena cidade.

Sob uma fina chuva, nosso destino era o Museu Cave and Basin, há alguns minutos de distância do centro. Desafiando os avisos de matilha de lobos, fomos a pé mesmo, encarando uma trilha lamacenta.

Trilha em Banff

O tempo logo começou a abrir e aproveitamos para conhecer o Lake Minnewanka, um gigantesco e belíssimo lago relativamente próximo a Banff Town , mas não o suficiente para ir a pé. Caminhamos por uma parte da trilha, serpenteando o lago e passamos um bom tempo admirando aquele lugar.

Minnewanka Lake

Antes da parada para o almoço, resolvemos fazer uma mini road trip pela Tunnel Mountain Drive , mais uma estradinha cênica da região. A estrada é circular e sua posição elevada nos garantiu belas paisagens do Bow River e do Bow Valley. O barato desse loop é a parada no Surprise Corner, onde há um mirante com vista para o icônico hotel Banff Springs. Outro visual interessante são hoodoos, formações rochosas pontiagudas que podem ser avistadas a partir de um curta trilha. Eu não cheguei a fazer a trilha mas consegui visualizá-los de um outro ponto da estrada.

Hotel Banff Springs visto do mirante em Surprise Corner

No final da tarde, deixei os meninos no hotel e fiz um safári com a Discover Banff Tours, pelos arredores de Banff. Voltei acabada, mas o passeio valeu como city tour e pelas centenas de cervos avistados.

Um pedaço do safári: elks lutando pelas fêmeas

A noite resolvemos matar a saudade do Brasil e esticamos até Canmore, a 15 minutos de carro, para conhecer a churrascaria do Gaúcho!! Adoramos!

 

Dia 5 | Parque Nacional de Yoho e Bow Valley Parkway

 Acordamos sob chuva e neblina novamente. Dirigimos rumo a Lake Louise pela cênica e selvagem Bow Valley Parkway.

Em Lake Louise Town fizemos uma desanimada parada no centro de visitantes. O tempo estava horroroso justamente no dia em que planejamos visitar os supostos melhores lagos. Não era possível, tanta estrada para conhecer os lagos sob chuva!!  Como ainda teríamos mais um dia (Thanks GOD!!), alteramos a nossa rota e fomos para o Parque Nacional Yoho.

Detalharei o roteiro do Yoho em outro post, mas adianto que esse dia acabou sendo super produtivo. Na estrada o tempo foi ficando menos nebuloso ( São Pedro é muito temperamental por lá…) e no final conhecemos lugares lindos como o Emerald Lake, a Takakkaw Falls e a Natural Bridge.

Emerald Lake

Saímos do Parque por volta das 16h30 e sabiamente resolvemos voltar pela Bow Valley Parkway, que é a melhor estrada para encontrar vida selvagem, principalmente no final da tarde. E ali completei a bucket list dessa viagem: um encontro com um Grizzly Bear na beira da estrada!! Meu primeiro e único urso selvagem dessa viagem!

Nosso Grizzly Bear ( urso pardo) na margem da Bow Valley Parkway

Urso, checked!

O sol ia começar a se pôr e então resolvemos subir a Banff Gondola que leva até o topo da Sulphur Mountain. A tarde estava incrível e tudo pareceu propositalmente desenhado por Deus: no alto daquela montanha com vista para o vale onde fica a cidade de Banff, o laranja do sol brilhava sobre as escarpas rochosas e criava um lindo contraste de cores. Como se já não fosse o bastante, o cume da montanha tinha muita neve fresca da noite anterior.

Pôr do sol na Sulphur Mountain

 

Dia 6 | Parque Nacional de Banff : a cereja do bolo

Dizem que o melhor sempre deve ficar para o final, mas aqui foi mero acaso…

Acordamos cedo com o tempo ainda nublado, novamente. Só que dessa vez não dava para adiar. O lance foi cruzar os dedos e torcer para São Pedro mudar de ideia no caminho.

Na esperança de contabilizar mais um urso, tomamos a Bow Valley Parkway em direção à Lake Louise Ski Resort.  Embora não tivesse nem um floco de neve, adquirimos o ticket para a gondola, com direito a café da manhã buffet ( super valeu a pena já que não tínhamos essa benesse no nosso hotel ).

Subir a gondola de Lake Louise Ski Resort é algo a se pensar, se você tiver pouco tempo e se já viu o seu urso. A esta altura já estava tão acostumada  com aquelas paisagens que meu nível de exigência havia subido muito e acabei não achado grande coisa. O que salvou esse passeio foi a visita ao Centro Interpretativo de Vida Selvagem que que fica na montanha, e que eu AMEI!!! Aprendi tudo sobre os animaizinhos das rochosas.

Trilha fácil em Moraine Lake

Ainda pela manhã, seguimos em direção ao Moraine Lake, o lugar mais lindo do planeta ( e olha que meu nível de exigência estava bem alto…). Havia programado uma trilha mais hardcore por ali, mas  tive a impressão de que havia ursos por todos os lados. Fiquei encagaçada e desisti. Fizemos a trilha que todo mundo faz no entorno do lago.

Trilhas restritas

De lá seguimos para o famoso Lake Louise e fiz o que há de mais clichê para se fazer: aluguei uma caríssima canoa e naveguei por aquele lago com o marido, já entrando no clima de despedida. Toda viagem tem seu momento clichê.

Canoando em Lake Louise

Clichê, checked!

Chegamos no final da tarde em Banff Town, tempo suficiente para um rolê de despedida pela cidade. Fechamos o dia, visitando o Vermilion Lake onde dizem haver o mais belo pôr do sol pra se ver. Mas eu na verdade dei essa desculpa para o marido, porque a moça do safári disse que ali era o lugar mais provável para eu encontrar um alce.

Vermilion Lake

 

Dia 7 | Partiu Toronto

No último dia, acordamos bem cedo e saímos do hotel pouco antes das 8h. Pegamos a estrada rumo ao aeroporto de Calgary. Em duas horas estávamos dizendo adeus para esse incrível lugar! Adeus não….até breve!!!

Próxima parada: Toronto.

 

 

 

 

 

Parque Nacional de Banff: dirigindo pela selvagem Bow Valley Parkway

Parque Nacional de Jasper : dirigindo pela Maligne Road e navegando até a Spirit Island

Parque Nacional Yoho: roteiro com sete atrações imperdíveis

Road trip pelas Rochosas Canadenses: tudo sobre dirigir pela Icefields Parkway

 

 

 

 

 

 

Planeje a viagem ( usamos e recomendamos):

 

Mount Robson Inn
aproveite o cupom com 15% de desconto
em até 12x sem juros e sem IOF

 

 

 

 

 

 

 

 

19 comentários em “Road Trip | Roteiro de 6 dias nas Montanhas Rochosas Canadenses

  1. Bem legal as dicas, mas fiquei meio confuso com o trajeto que vcs fizeram. Preciso de ajuda.
    Irei para as montanhas também em outubro desse ano, só que faço o caminho inverso.
    Chego em edmonton dia 12 e vou direto para Jasper. Reservei também o Mount Robson Inn. Pensei no dia 13/ 10 fazer toda a região de jasper. Maligne Lake, Medicine Lake, Malig Canyon, Edith Lake, Annete Lake, Pyramid Lake, Jasper Sky Tram (algumas atrações tentarei fazer ainda no dia 12/10, vai depender da hora q chegaremos no hotel.

    Dia 14 sairemos de Mount Robson Inn e passaremos a noite no The Crossing Resort, primeira dúvida é nesse caminho que tem a Athabasca Falls e a Columbia Icefields correto? O que vc sugere para essa parte da viagem? Que hrs sai o passeio para a Columbia Icefields? O que tem mais nessa região para conhecer?

    Dia 15/10 sairemos de The Crossing rumo ao Lake Louise, pensei em visitar Mistaya Canyon Parker Ridge, Waterfowl Lakes Campground, Peyto Lake, Bow Lake, Hector Lake e Emerald Lake.

    Dia 16/10 partimos para Banff, pensei em visitar Bow River, Termas de Banff, Gondola de Banff, Bow Valley Parkway

    Dia 17/10 partimos para Calgary, pensei em visitar Cidade de Field, Takakkaw Falls, Natural Bridge
    e cidade Canmore.

    A princípio é isso. Estou meio atrapalhado ainda com o roteiro, algumas atrações podem estar em dias errados hehehe.

    Dia 18/10 embarcamos para Whitehorse em busca da aurora boreal.

    Vcs teriam alguma dica, alguma atração imperdível?

    Curtir

    1. Junior, dependendo da hora que você chegar, vale a pena explorar os lagos mais próximos do centro de Jasper. Eu faria o seu roteiro dessa forma:

      No dia #2, você pode fazer tudo pela Maligne Road, os demais lagos e o Jasper Skytram. Mas fica ligado, pq esse bondinho só funciona até às 17h/17h30. Não me recordo exatamente, mas essa questão do horário inviabilizou a nossa ida.

      No dia #3 (14) você explora a Icefields. Pare na Athabasca Falls, Sunwapta Falls e no Centro de Visitantes Columbia Icefields. Isso já vai consumir boa parte do seu dia. Os passeios para o glacial Athabasca saem em intervalos regulares, sendo o último por volta das 17h. Logo após o Columbia Icefields, você encontra uma trilha muito popular, a Parker Ridge Trail. Essa trilha te leva a um ponto de observação de uma das geleiras do campo Columbia. Não fizemos a trilha, mas sei que é famosa. Seguindo de carro, você vai ter vários pontos de parada para fotos e contemplação até o The Crossing Resort.

      No dia #4 (15), eu não sei realmente se você consegue fazer tudo isso, pois o Emerald Lake fica no Yoho, sendo melhor que você o faça no dia 17, junto com as outras atrações desse Parque: Takakkaw Falls, Field, Natural Bridge e Emerald Lake. Deixe para o dia 15 o Waterfowl Lakes, Peyto Lake, Bow Lake, Hector Lake, Lake Louise e Moraine Lake. Se você for para Banff nesta noite, vá pela Bow Valley!

      No dia #6 (16), dá para explorar bem a cidade de Banff: Banff Town, Tunnel Mountain Drive, Bow Falls, Lake Minnewanka, Two Jack Lake , Banff Gondola ( vá no pôr do sol!) e Banff Hotsprings!!

      No dia #7 (17) fique pelo Yoho, mas viaje na ida através da Bow Valley, se te interessa vida selvagem.

      Três coisas importantes pra vc se ligar: as estradas que levam ao Moraine Lake e ao Takakkaw Falls ( Yoho Valley Road ) costumam fechar na segunda semana de outubro. Então, não sei se você conseguirá ir. Em todo o caso, no Yoho, você pode optar por conhecer Wapta Falls no lugar de Takakkaw. Agora, substituir o Moraine Lake é impossível, sendo este o lugar mais lindo da região! E por fim, considerando a sua data, pode ser que você pegue neve!. Ano passado, pegamos a Sulphur Mountain ( Banff Gondola ) totalmente nevada.

      Aqui no blog, recomendo que você leia nossos artigos sobre a Maligne Road, Bow Valley, Yoho National Park e Jasper National Park. Em breve, postaremos mais! Agora em Setembro, embarcarei novamente para o Canadá e prometo trazer mais dicas sobre as Rochosas e sobre Whithorse! 😉

      Curtir

  2. que super convidativo esse roteiro! sou muito atraída por essas paisagens, super toparia fazer esse mesmo caminho que você fez. Canada é demais!

    Curtir

  3. Nossa, toda vez que vejo fotos desse Moraine Lake fico doida com a natureza desse lugar! Incrível! Adorei esse roteiro, bem do jeto que eu gosto e ainda não tinha vsto um assim nesses moldes pra essa região. E gente, urso!? hahaha Show!

    Curtir

  4. Noossa! Que lugares inacreditáveis. Adorei o roteiro de vocês, o ‘encontro’ com o urso e claro, a caríssima canoa! Tem que ter clichê de viagem sim, claro!!! Viagem linda.

    Curtir

  5. Ótimo roteiro com informações super valiosas. Também estava em dúvidas quanto a época para fazer esta trip, agora sei que o outono é o ideal. O topo da Sulphur Mountain é lindo demais!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s