De Fairbanks a Anchorage no Trem Cênico do Alaska

 

As duas maiores cidades do Alasca estão distantes uma da outra por quase 600 km e apesar da forma mais rápida de deslocamento ser o avião, eu optei por fazer essa travessia no trem panorâmico Denali Star.

Um dos motivos foi a possibilidade de conhecer o Parque Nacional Denali sem a necessidade de contratar excursões ou de dirigir por estradas que eu desconhecia. Afinal, de carro, eu dirigiria sozinha por oito horas. Não dessa vez…

O maior parque nacional dos EUA foi também o primeiro a ser estabelecido em 1917. O nome Denali é uma alusão a maior montanha da América do Norte, o Monte McKinley (6200m) , conhecido localmente como Denali cujo significado na língua das tribos nativas é ” the great one”.

 

O trem operado pela Alaska Railroad faz a travessia por dentro das florestas do Parque Nacional Denali em aproximadamente 12 horas. A duração me assustou no início, mas eu não tinha muita opção.  Naquela vibe do ”já que” to gastando uma grana nesse trem, vou gastar um pouco mais e vou na primeira classe. Não sei ao certo se foi o excepcional serviço de bordo com sistema all inclusive ou se foram as paisagens, mas a viagem passou bem mais rápido do que eu esperava.

O plano era tirar uma soneca nas primeiras horas da manhã logo após o café servido no trem, mas mesmo estando virada após minha noite de caçada da aurora boreal, eu não preguei o olho. Não foi por falta de conforto, já que as poltronas se assemelham àquelas dos ônibus executivos. A viagem foi macia e o silencio só era interrompido mesmo pela fala da guia que vez ou outra nos contava um pouco sobre a paisagem ao redor.

 

Alguns dormiram por um bom tempo após o almoço, mas eu aproveitei para tomar meus dois drinks de cortesia, e “nutelar” de vez com uma mini garrafa de vinho e uma mini de espumante. Entre goles, eu fotografava os cênicos vales, corredeiras, pontes e as muitas montanhas com picos nevados, incluindo a maior montanha da América do Norte, o Monte Denali ( ex Monte Mc Kinley ).

A Alaska Railroad oferece diferentes viagens de trem por uma rota que vai do extremo oeste, na Península do Kenai até o interior do Alaska culminado em Fairbanks. É possível fazer apenas alguns trechos ou a rota quase toda de uma única vez, dependendo do trem escolhido e da época do ano.

No final do verão, em setembro, embarquei na última saída do trem Denali Star que conecta Fairbanks a Anchorage.

 

O trem deixou a estação de Fairbanks às 8h. Uma hora antes estávamos todos lá para os procedimentos de check in e despacho de bagagem. As malas podem ser despachadas e retiradas na estação de destino do passageiro, mas eu sou daquelas pessoas que se pudesse viajaria sentada sobre a minha, e, por isso, optei por não despacha-la.  Bagagens menores podem ser alocadas no vagão acima dos assentos exceto se estiver na primeira classe. Lá o vagão panorâmico é revestido de janela a janela por vidro e não há bagageiros. Restou-me guardar a mala na classe econômica nos bagageiros localizados nas extremidades dos vagões.

 

Os passageiros da primeira classe (Goldstar Service) podem circular livremente pelos vagões, enquanto os da econômica (Adventure Class ) apenas não acessam as dependências exclusivas da primeira classe: o vagão panorâmico com bar e o deck externo.

Viajar na Goldstar Service é só um pouco mais confortável. A vantagem mesmo é a visibilidade muito maior que o vagão de vidro oferece e a possibilidade de ir até o vagão aberto, que é um deck de onde as fotos saem bem melhores. Claro que também não podemos reclamar do bar que servia drinks, cervejas, vinho e espumante para quem pudesse pagar, e nem muito menos das espetaculares refeições disponíveis no sistema a la carte e já inclusas no bilhete. Café da manhã, almoço e jantar com bebidas não alcoólicas tiveram um papel importante na minha escolha pela primeira classe.

Para o café eu escolhi ovos mexidos com batatinhas e salsichas, acompanhado de chocolate quente. Meu almoço foi um pene a bolonhesa a base de ragu de porco e para o jantar fiquei com uma carne assada ao molho ferrugem com purê de batatas ao alho, acompanhado de brócolis. Antes do desembarque foram servidos uns minúsculos cheesecakes. É inegável que a experiência gastronômica a bordo do trem foi um ponto alto da viagem.

Mas quem viaja na classe Adventure, embora não tenha refeições inclusas, pode compra-las no café Wilderness localizado em um dos vagões.  Não tenho certeza se o restaurante abre para os demais passageiros após todos da classe Goldstar terem finalizado suas refeições. A segregação nesse caso faz sentido, já que o espaço é limitado.  Chegada a hora da refeição, um guru dividia os passageiros em dois ou três grupos que se alternavam no restaurante, cedendo o lugar para o próximo. Passageiros solitários como eu, dividiam a mesa de quatro lugares com outros. E assim fui conhecendo pessoas e contando histórias.

Ao longo da jornada de 8h às 20h, o trem parou em algumas estações de onde novos passageiros embarcaram e outros desembarcam. Geralmente esse processo levava uns 15 minutos e era um momento para descer e esticar as pernas ou comprar souvenirs.

Meu trem parou nas estações de Denali, Talkeetna e Wasilla antes do ponto final em Anchorage. As duas primeiras são boas opções de desembarque para quem tem mais tempo e quer aproveitar para fazer tours pelo Parque Nacional de Denali. Infelizmente, eu não tinha esse tempo disponível, mas confesso que fiquei louca para descer na estação de Denali onde tem uma vilarejo com pousadas e hotéis para quem vai explorar o parque.

Mesmo no trem Denali Star, os valores das passagens variam conforme o trecho que será percorrido. Justo!

O trecho entre Fairbanks até a estação Denali foi o que considerei mais cênico. Já o trecho entre Wasilla e Anchorage é aquele que dá pra dormir se você não fizer questão de avistar alces e águias.

Mas se você estiver buscando uma viagem mais curta do tipo passeio, a Alaska Railroad oferece rotas mais cênicas e mais curtas como o trecho entre Anchorage e Seward que fiz de carro.

::Alaska no verão: mini cruzeiro pelo Parque Nacional Kenai Fjords::

A rota é operada com o trem Coastal Classic que serpenteia as montanhas e belas baías, passando por lagos e glaciais. Sem dúvida, uma jornada que deve valer cada centavo.

Tanto o trem Denali Star como o Costal Classic operam de meados de maio a meados de setembro. Fora dessa época, a Alaska Railroad opera o trecho Anchorage – Fairbanks com o trem Aurora Winter que atravessa o Parque Denali totalmente nevado. Deve ser incrível, não ?!

::Guia para ver a Aurora Boreal em Fairbanks no Alaska::

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Informações úteis


  • Cada passageiro pode carregar duas peças de bagagem, mas dependendo do tamanho que será medido no embarque, a bagagem será obrigatoriamente despachada.
  • Os passageiros da classe econômica Adventure Class também possuem acesso a um pequeno vagão de vidro com vista panorâmica, porém todos os passageiros podem acessá-lo e não há assento marcado. Eles recomendam que as pessoas se revezem e usem o bom senso.
  • No trem somente é aceito cartão de crédito.
  • Muitos hotéis em Fairbanks e Anchorage oferecem shuttle gratuito para as estações de trem.
  • Reservas podem ser feitas pelo www.alaskarailroad.com

 

 

 

 

Guia para ver a Aurora Boreal em Fairbanks no Alaska

Road Trip: mulher, sozinha, no Alasca

 

Lakeshore Inn & Suites
Com o cupom VIAJEFELIZ você tem 20% de desconto nos seguros ALLIANZ

3 comentários em “De Fairbanks a Anchorage no Trem Cênico do Alaska

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s